<>

Home » Poesias Segunda-Feira, 20 de Agosto de 2018







[ A ] [ B ] [ C ] [ D ] [ E ] [ F ] [ G ] [ H ] [ I ] [ J ] [ K ] [ L ] [ M ] [ N ] [ O ] [ P ] [ Q ] [ R ] [ S ] [ T ] [ U ] [ V ] [ W ] [ X ] [ Y ] [ Z ] [ 1 ... 9 ]


Estou ficando surdo.
por: Oracio Bocchi

Já não ouço mais
os pássaros inquietos e felizes
em revoadas na aurora
nas árvores verdes encorpadas.

Já não ouço mais
o sino de a igreja chamar os fiéis
para ouvir a palavra
até então sagrada e seguida.

Já não ouço mais
as crianças brincando na praça
sorrindo de felicidade
sem maldades e palavrões.

Já não ouço mais
a mamãe cantando o ninar
para o bebe inocente
sem precisar de babá e creche.

Já não ouço mais
os pais contando histórias
para os filhos nas tardes
que agora gastam em lotações.

Já não ouço mais
as músicas românticas e poéticas
que embalavam nossa alma
substituídas pelas notas embaraçadas.

Já não ouço mais
Os riachos límpidos nas pedras a cantar
levando vidas pelos caminhos
hoje escondidos em canais e poluídos.

Já não ouço mais
os mestres respeitados de outrora
ensinando em cada palavra
supridos pela força da informática.

Já não ouço mais
promessas em voz alta nos palanques
que seriam cumpridas depois
sufocadas pelo cortejo da situação.

Já não ouço mais
os religiosos explicarem quem é Jesus
que só queria o bem entre irmãos
nestes dias, trocado por moedas indecentes.

Já não ouço mais
alguém dar um conselho que ajudava
para ter uma solução resolvida
por que hoje ninguém mais ouviria.

Já não ouço mais
notícias que deixavam o povo feliz
acreditando em coisas boas
tudo mudou por calamidades mundiais.

Já não ouço mais
pessoas tranqüilas em suas conversas
com voz baixa e confortável
porque hoje é só gritaria e reclamação.

Já não ouço mais
você que ouve bem ainda espero
que nunca tenha minha falha
e tente ouvir alguma coisa que não citei.