<>

Home » Poesias Sádado, 24 de Fevereiro de 2018







[ A ] [ B ] [ C ] [ D ] [ E ] [ F ] [ G ] [ H ] [ I ] [ J ] [ K ] [ L ] [ M ] [ N ] [ O ] [ P ] [ Q ] [ R ] [ S ] [ T ] [ U ] [ V ] [ W ] [ X ] [ Y ] [ Z ] [ 1 ... 9 ]


Inferno...
por: Criscely De Azevedo Correia

Eu estou tão morta por dentro...
Meu sangue frio e amargo
Não é mais aquele mesmo que percorria meu corpo ardente junto ao teu...

Tocado por tuas mãos,mãos de anjo
Um anjo travesso e puro.
Eu estou tão apagada
E do lado de fora sinto a escuridão que esfaqueia meu ser...

Entre gritos e gemidos,entre clamores
Meus olhos tão cegos,tão negros
Tão longe da vida
Minha boca em silêncio
Procurando as palavras que perdi em você
Minha mente não pensa mais
E a razão voa para bem longe,onde jamais alcançarei...

Está tudo tão morto...
Os sonhos,as pessoas que amei
Os projetos obscuros
Que junto ao meu túmulo enterrei...

Beije-me com seus lábios quentes
e faça-me viver outra vez...

toque-me com seu corpo cheio de sangue
E eu voltarei a respirar...

Olhe para mim e deseje-me
Acaricie meu corpo sem vida e vazio...

Põe em mim um pouco de amor
Ajude-me a encontrar aquela alma
Que perdeu-se na noite quando você me deixou...

Agarre-me com força e sacuda-me
Faça-me sentir que ainda existo
Puxe-me com seu instinto selvagem
Por que cada vez eu caio mais fundo,
Cada vez mais o abismo me espera...

grite para mim!
Grite e me faça acordar da morte que me envolveu...

Vamos, eu estou morrendo!
Colha sua força em mim...

Ou, entregue-me de uma vez ao inferno.